O Gênero que bate na sua cara e diz: Vc é um ser humano e vai morrer … O Terror…

Os primeiros filmes de terror são peças surreais bastante perturbadoras. Sua aparência visual é inspirada em parte no estilo expressionistas e, em parte, pela fotografia da década de 1860 tem na sua essência o estilo narrativo do teatro Grand Guignol, desenhado a partir da literatura gótica.

O primeiro filme de terror registrado é Le Manoir du Diable (1896), criado por um dos primeiros visionários do cinema, Georges Méliès. E, embora tenha um tempo de execução curto a história sobrenatural abarca os paradigmas do gênero: morcegos, diabos, bruxas, caldeirões, fantasmas, trolls, todos aparecendo e desaparecendo em baforadas de fumaça.

O Gabinete Do Dr. Caligari (1919) é frequentemente citado como o ‘avô de todos os filmes de terror’. O filme é uma exploração psicológica da mente de um lunático. Utilizando um mecanismo de enquadramento inteligente o público nunca fica sabendo claramente quem é louco e quem é sensato, na realidade é uma experiência perturbadora ampliada pela assimetria irregular da mise en scene. E, obviamente, os espectadores modernos possam reclamar do ritmo lento, com tomadas longas e poucos corte entre cenas, ” O Gabinete … “é elegante, imaginativo, e nunca inferior a assombração.

Nosferatu é o primeiro filme de vampiro a plagiar a história de Drácula. Conde Orlok, grotescamente interpretado por “Max Schreck” é nos dá um sugador de sangue muito mais assustador do que qualquer dos seus sucessores; Shreck é simplesmente desumano. F.W. Murnau demonstrou um domínio precoce sobre a luz e sombra. Ele também entrou em confronto com a viúva de Bram Stoker sobre os direitos da história de Drácula.

Em 1930 o cinema de terror começou a falar e a gritar. O advento do som mudou toda a natureza do cinema e teve um enorme impacto sobre o gênero. As aparições fantasmagóricas flutuando silenciosamente foram substituídas por monstros que grunhiam, gemiam e uivavam. O som acrescentou uma dimensão extra ao terror. Os filmes de terror transforma-se em contos de fadas exóticos, invariavelmente, estabelecido em alguma terra distante com trajes de época e sotaques estranhos. O público estava mais entusiasmado com o gênero do que na década de 1920, e se reuniam em cinemas para ter medo e fugir da Depressão e da Guerra.

Na década seguinte o filme de terror passou a ser puramente um produto americano. Banido na Grã-Bretanha durante a A Grande Guerra os filmes de terror foram utilizados por Hollywood apenas para divertir o público interno. Os norte-americanos passaram a enxergar o resto do mundo como um lugar assustador, caótico, irracional e descontrolado, a Europa era um lugar perigoso.

É difícil de entender as mudanças ocorridas entre 1940 e 1950. Em dez anos o conceito de monstro horrível mudou de forma irrevogável. A ação militar da 2 ª Guerra Mundial deixou mais de 40 milhões de mortos e milhões expostos a todo o espectro de desumanidade do homem contra o homem. O mundo nunca voltaria a ser o mesmo de outrora e o alvorecer do pós-guerra trouxe consigo uma nova raça de monstros, adaptados especificamente para a sobrevivência na segunda metade do século XX.

Os anos 1950 são a época em que os filmes de terror ficam relegados à categoria de B-filme, ou filme trash. A principal audiência para o terror passou a ser o adolescente. Eles correram para os drive-ins não se importando com o desenvolvimento do caráter, integridade, enredo ou valores de produção. O novo objetivo do jogo era emoções, emoções e mais emoções.

A geração beat; Kennedy; Cuba; A talidomida; Ácido; Vietnã; A revolução sexual transformou a decada de 1960 em um antro de psicóticos, freaks e psicopatas. A estabilidade social que marcaram os pós-guerra desceu pelo ralo. Filmes de terror de baixo orçamento e for do sistema ofereciam oportunidade para a contracultura desmascarar velhos tabus e explorar novas formas de perceber o sexo e a violência. O Cinema subterrâneo se esquivou da censura. E os filmes passaram a ser mais aberto a nudez, violência e outros artifícios que desafiaram os costumes sociais. O jovem passou a querer o horror mais enraizado na realidade, mais crível e mais sofisticado.

Filmes de terror da década de 1970 refletem o clima sombrio da década. Após o otimismo da década de 1960, com as suas revoluções sexuais e culturais, e os pousos na Lua, os anos setenta foram alvo de uma profunda decepção. Em 1970, a festa tinha acabado; a separação dos Beatles, Janis e Jimi morreu, e em muitos aspectos foi tudo ladeira a baixo. No entanto, quando a sociedade vai mal, filmes de terror ficam bom e 1970 marcou o retorno das grandes produções e do filme de terror respeitável, lidando com questões contemporâneas e abordando medos psicológicos genuínos.

As crianças viram o alvo de muitos filmes importantes. A unidade familiar em ruínas torna-se fonte de muito medo e desconfiança. Desta vez “o inimigo interno” não é um alienígena de outro planeta. Desta vez, o inimigo pode estar dentro de casa. Pode ser sua É sua mãe (Shivers), Seu pai (The Shining), Seu irmão (Halloween), Sua irmã ( Alice doce Alice), Seu marido (The Stepford Wives), Seu garotinho (The Omen) ou Sua filha (O Exorcista)… Continua..

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s